sexta-feira, 1 de junho de 2012

AMAZONAS - BRASIL




O Amazonas é o maior Estado do Brasil. Possui mais de 1,5 milhão de quilômetros quadrados e ocupa mais de 18% do território nacional. Seus 62 municípios têm ao mesmo tempo as terras mais altas do país, como o pico da Neblina (2.993 metros de altitude) e o pico 31 de Março (2.972 metros de altitude) e a maior extensão de terras baixas, com menos de 100 metros de altitude, do Brasil. Segundo Censo 2010 do IBGE, a população do Estado é de 3.483.985 habitantes, sendo que 1.802.014 habitantes vivem em Manaus.

O Amazonas é banhado pela bacia hidrográfica amazônica, que responde por aproximadamente 20% da água doce do planeta. Os principais rios são Negro (que banha a cidade de Manaus), Amazonas-Solimões, Madeira, Juruá, Purus, Içá, Uaupés e Japurá. No Brasil, país caracteristicamente tropical, o Amazonas é dominado pelo clima equatorial, predominante na Amazônia, tendo uma temperatura média de 26° Celsius. Ele também é o Estado mais preservado do país, com 98% de sua cobertura florestal original. Somente suas áreas protegidas por leis federais e estaduais, como parques e reservas florestais, ocupam um território equivalente a 20 vezes o tamanho do Líbano e o dobro de Portugal. Aliados a esse universo verde estão os rios, lagos e igarapés, componentes indispensáveis para marcar o contato inesquecível com a maravilhosa natureza amazônica.

Com vida cultural intensa, na qual se destacam o Festival Folclórico de Parintins, com o duelo dos bumbás Garantido e Caprichoso, o Festival Internacional de Ópera e o Festival Internacional do Cinema de Aventura, o Amazonas possui características muito especiais que se expressam na alegria do povo e nas raízes do folclore regional.

O turismo de natureza, ou ecotursimo, é o principal atrativo dos roteiros do Amazonas. O visitante tem a oportunidade de conhecer, aprender e valorizar a importância da floresta tropical e os habitantes que nela vivem, que são os principais responsáveis pela sua conservação. Por seu contato direto com a natureza, o Estado faz parte dos roteiros oferecidos pelas agências nos programas de barco, pernoites em hotéis de selva e passeios pela floresta. O ecoturismo pode ser praticado no Amazonas durante o ano todo, pois a sazonalidade que ocorre na floresta de várzea, local onde as comunidades vivem, oferece dois belos paisagismos, permitindo ao turista vivenciar a floresta em época de seca e de cheia (alagada). Além das caminhadas na floresta, do passeio de canoa nas trilhas aquáticas, observando a beleza da natureza e os que vivem nela, o turista ainda usufruir da convivência com o homem da floresta conhecendo o seu modus vivendis e interagindo no seu dia-a-dia.

FONTE

CULTURA


Região em que se localiza o Estado do Amazonas, a Amazônia comporta uma diversidade cultural surpreendente até mesmo para seus próprios habitantes, decorrente, sobretudo, de sua formação étnica, em que o elemento indígena foi aos poucos absorvendo as influências africanas e européias, particularmente de portugueses e espanhóis, além de outras correntes migratórias que vieram contribuir para o cadinho amazônico. Daí o amazonense refletir em sua cultura manifestações tão distintas umas das outras como o ritual da Moça Nova, realizado na região do alto rio Solimões, o Festival Amazonas de Ópera, apresentado no suntuoso Teatro Amazonas, em Manaus, e o carnaval de rua, que acontece praticamente em todas as sedes municipais.

Com seu referencial simbólico enraizado em três matrizes étnicas bem distintas entre si, o amazonense traduz esse simbolismo de forma exuberante durante o Festival Folclórico de Parintins, com o duelo de bumbás em uma festa de explosão de cores, sons e ritmos em que a rica mitologia amazônica se transforma em enredos e coreografias, que atrai e encanta gente de todas as partes do mundo. Esta manifestação folclórica está cada vez mais comprometida com os aspectos ecológicos que envolvem a conservação da Amazônia como um todo e, particularmente, do Amazonas, Estado que apresenta uma das mais intocadas florestas de todos os que compõem a região.

O referencial cultural amazonense também se manifesta no artesanato, em que matérias-primas extraídas de maneira sustentável da Floresta Amazônica são transformadas em objetos utilitários e decorativos, como as cestas de fibra de arumã do alto rio Negro, e de uso pessoal, como os anéis, pulseiras e colares confeccionados com sementes de jarina.

Devido ao crescente contato com elementos de outras culturas, cada vez mais o amazonense vem se dando conta de sua própria singularidade e da riqueza cultural que representa sua mitologia, tradições e costumes, de modo que esses aspectos estão sendo aproveitados como atrativos turísticos. Rituais praticamente desconhecidos da população urbana local passaram a fazer parte do calendário de eventos amazonense. O da Tucandeira, por exemplo, que antes era praticado somente como rito de passagem entre a infância e a adolescência, agora se reveste de um bem-vindo elemento gerador de renda para os membros de algumas comunidades amazonenses de etnia saterê-maué. Assim, como elemento essencial na composição identitária, a cultura amazonense vem se renovando e se adaptando aos tempos da globalização, sem, no entanto, perder sua essência e dinamismo.

FONTE

BIODIVERSIDADE


ARARA CANINDÉ

Ao longo dos últimos milênios, as transformações geológicas e climáticas pelas quais passou a Amazônia foram decisivas para a evolução das espécies vegetais e animais que primitivamente habitavam a região. Deve-se a essas transformações a riquíssima biodiversidade existente na Floresta Amazônica, que, ao lado do que restou da Mata Atlântica, coloca o Brasil entre os países mais bem aquinhoados neste quesito. Detentora da maior cobertura vegetal tropical do planeta, a Amazônia é exuberante em manifestações de vida, desde a microscópica até a gigantesca. Banhada por intensa luminosidade, que praticamente a aquece por igual durante as quatro estações, e alimentada por um complexo sistema hidrológico, a Floresta Amazônica promove diariamente a sua própria renovação, num ciclo infindável que se alterna em vida e morte, dia e noite, chuva e sol, vazante e enchente dos rios, influenciando beneficamente o clima em escala planetária

Dessa feliz conjunção milenar resultam os sabores, odores e cores das frutas amazônicas, ímpares, que, nas ondas da globalização, passam a ser conhecidas mundialmente. O tradicional vinho (suco) de açaí do ribeirinho amazonense vem conquistando admiradores e entusiastas de várias partes do mundo por causa de suas elevadas propriedades nutricionais. A Floresta Amazônica, que tem seu núcleo mais representativo no Estado do Amazonas, vem ao longo dos anos revelando cada vez mais seu potencial para a geração de riquezas, do qual se destacam o cacau; canela; baunilha (explorados intensamente durante o período colonial); seringueira; balata; guaraná; mirantã; mandioca; camu-camu; cupuaçu; pau-rosa; cumaru; andiroba; copaíba; sorva; e castanha-do-brasil; além de madeiras apreciadíssimas, como o mogno; cedro; cerejeira; itaúba e angelim. Sem desmerecer a beleza das orquídeas e alanas (vitórias-régias), a rainha entre os vegetais amazônicos é a portentosa sumaumeira, gigante que alcança 60 metros de altura (o equivalente a um prédio de 20 andares), com uma circunferência de base de mais de 20 metros e uma umbrela que ultrapassa os 100 metros de diâmetro.

À lista infindável das espécies vegetais soma-se a dos animais, com destaque para a onça (jaguar); suçuarana (puma); airuvê (peixe-boi); anta (o maior animal terrestre da América do Sul); capivara (o maior roedor do mundo); amana (boto-vermelho); tucuxi (boto-cinza); ariranha; uacari-branco e sauim-de-coleira, além de uma relação quilométrica de peixes, entre os quais se sobressaem o pirarucu (maior peixe de água doce do mundo); pirarara (bagre); tambaqui; tucunaré; até o humilde e saboroso jaraqui, responsável pela alimentação de boa parcela da população baré. Há também répteis gigantes (o adjetivo é recorrente), como a constritora sucuri (anaconda), que supera os 10 metros; jacaré-açu; e a jiboia; além da venenosíssima surucucu-pico-de-jaca; jacaré-tinga; tartaruga-do-amazonas; tracajá; jabuti; e iguana. Aves maravilhosas povoam o maior Estado brasileiro, como o galo-da-serra; uirapuru; arara; cigana; tucano; e o magnífico uiraçu (gavião-real), senhor absoluto dos céus do Amazonas, cuja envergadura ultrapassa os dois metros, que o torna a maior ave de rapina existente no planeta.

FONTE

MANAUS, CAPITAL DO AMAZONAS





6 comentários:

Mari Rehermann disse...

Olá Soninha, muito legal saber um pouco mais sobre este lugar lindo e distante, que é a Amazônia. Adorei a viajem!!!

Tenha um final de semana iluminado!!
Beijos!♥

Miriam de Sales Oliveira disse...

Amiga,é um dos poucos estados brasileiros q/ não conheço.Ele e o Pará.
Estou me articulando p/ ir á festa literária do Amazonas ano q/ vem.
Belo trabalho.
bjks

Anne Lieri disse...

Soninha,sempre uma viagem especial por aqui!Linda musica e imagens fantasticas!bjs,

Toninhobira disse...

Obrigado minha guia virtual, é preciso saber e conhecer este Brasil.Saber da riqueza e beleza da fauna e flora,preserva-la e ser um grito a mais nesta luta.Ver o povo e respeita-lo com todas suas tradições culturair e de vida.
Linda apresentação deste gigante.
Carinhoso abraço de paz e luz.
Bom domingão com alegria.
Bjo.

DENISE PUPPIN disse...

Soninha, gostei demais da viagem à Amazonia. Quero mto conhecer a região. Seria ótimo poder receber suas dicas e orientações nessa excursão. Vc mora por aí?
Achei especialíssima a trilha sonora!
http://denisepuppin.blogspot.com.br/

Lílian Almeida disse...

Oi soninha !
Que post lindo e informativo, a Amazonia é relamente um tesouro !
bjim !

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Clique e...

Conheça o agregador dos meus links:

Conheça o agregador dos meus links:
Clique na imagem acima.